sábado, 27 de dezembro de 2008

Sobre os anos.

Mais um ano se passou.
De fato, o começo de 2008 não foi muito agradável pra mim, e se eu fosse contabilizar, não sei se teria mais coisas boas ou ruins. Por isso não contabilizei.
Sei que muitos fazem do final de ano um tempo pra se redimir, ou saem correndo tentando fazer as coisas que nao coseguiram durante o ano.
Outros ficam fazendo listas de coisas a fazer em 2009, como se o ano fosse mudar tudo ao começar.
Não acho errado, mas não faço.
Não vou negar que também aguardo pela chegada do Ano Novo. Que eu fecho os olhos e desejo que as coisas sejam melhores. Sejam menos doloridas. Só que a minha parte 'realista' faz questão de me lembrar que eu vou colher os frutos das sementes que plantei.
Que 2009, será a respostas pras minhas ações em 2008.
As vezes eu quero fugir dessa realidade, pensando em 'Ano Novo, vida Nova'. Mas não.
Eu continuarei a mesma, com os mesmos amigos, com a mesma familia, na mesma escola, e se EU não fizer algo diferente, daqui um ano, verei que vivi as mesmas coisas.
Pois se quisermos mudanças, temos que mudar. Ir por um novo caminho, de um novo jeito. Não sei se fazendo isso chegarei no lugar certo, mas sei que chegarei num lugar diferente de onde estou.
Se eu posso dizer que 2008 me ensinou alguma coisa, foi que não importa o quanto eu me esforce, simplesmente não conseguirei ser perfeita. E não adianta esperar reconhecimento, porque na verdade 'elogios são como moedas falsas, não empobrecem quem dá, e só iludem quem recebe'.

Ainda assim, estarei esperando 2009, com o coração aberto, aguardando as surpresas que ele trará, os desafios, os amores, os amigos!
Que todos vocês tenham saúde, fé, paz, alegria, ousadia e sabedoria para encarar o Ano que está chegando, e que tenhamos criatividade pra continuar escrevendo nos blogs..
^^

Boas Festas, juiiiiiiiiizo... e até 2009!!

(acabei de lembrar que estou devendo o selinho aquii, mas como várias pessoas indicaram vai ficar pro ano que vem a divulgação delas aquii, desculpeem essa falha.)

;@@@

quarta-feira, 24 de dezembro de 2008

Véspera de Natal.

Sei que todo mundo relaciona Natal com o Papai Noel, e alguns poucos tentam resgatar a essencia do Natal que é o nascimento de Jesus.
Pra mim, a véspera de Natal nada mais é do que a espera pela ceia. Essa é, sem dúvida, a época do ano que eu mais como. É leitoa, peru, tender, maioneses, mandioca e carne, mais carne.
A família se reune, meus pais, meus tios, meus primos, a minha vó e o namorado, e eu. Provavelmente a única vez em que eu não me importo tanto de estar só.
Quando meu avô era vivoeu era mais nova, a ceia era muito mais animada.

Eu me lembro da gente se reunir na casa da minha tia, naquela mesa de madeira em que cabia umas 20 pessoas. Nós comíamos, revelávamos amigos secretos, e meu tio sempre dizia: Porque no Natal a Missa é do Galo, se quem morre é o peru?!
Não entendo de missas, e não quero tratar de crenças nesse post.
Mesmo querendo que não seja uma data comercial, sim eu quero roupa nova, sapatos novos, um acessório marcante.
O nascimento de Jesus eu comemoro a cada dia, tanto o nascimento quanto a ressureição. Os bons sentimentos como perdão, amor, alegria, eu prezo durante todo o ano.
Eu acho meio hipócrita quando vejo pessoas que foram egoístas o ano todo sendo boazinhas. E é um tanto cruel ver que as criancinhas relacionam ganhar presentes de Natal com ser bom o suficiente pra merecer.
Desde pequena não me lembro de ter ganhado nenhum presente no Natal que não fosse de amigo secreto. Na verdade quando eu ganhava presente em dezembro, era por ter passado de ano na escola com notas boas, e não no Natal. Sei que essas coisas variam de casa pra casa, de família pra família.Mas uma coisa é certa, eu desejo pra vocês Ótimas Festas, juiiizo, e
se for dirigir
não beba!

Feliz Natal geeente!!!

;@@@@

sábado, 20 de dezembro de 2008

Nada é definitivo.

Quantas vezes nos deparamos com situações em que desejamos que fosse eterno. Mas nada é eterno. Nem amores, nem amizades, nem a vida.
Nossas certezas a cada dia se transformam. A ciência, que é o estudo racional das coisas, descobre coisas novas a cada instante. A certeza de ontem é a dúvida de amanhã, e não mais o oposto.
Diante desta instabilidade muitas pessoas se sentem perdidas, sem saber em que acreditar, ou pior, pensando que não se pode mais acreditar em nada. E é nesse ponto que eu queria chagar.
Quando as decepções e frustações nos atingem de tal forma, que não conseguimos mais confiar. Durante nossa vida, nos depararemos com situações desagradáveis, e a única maneira de conseguir superar os obstáculos é acreditar que, de algum modo, isso faz parte de um objetivo maior. Que algum tempo depois, olharemos pra trás e veremos o quanto aquela situação foi crucial para a realização de um 'projeto maior e melhor'.
Se analisarmos o passado, encontraremos momentos que realmente foram essenciais para que nos tornássemos o que somos hoje. Mas também há aquelas situações que poderiam ter sido evitadas se tivéssemos um pouco mais de bom senso, de tolerância.
Quantos 'bom dia' deixamos de dizer pensando que não faria diferença, e na semana seguinte erámos nós os 'necessitados'.
Quantas vezes deixamos de sorrir, de olhar carinhosamente, e depois estávamos lá, mendigando por um pouco de atenção.
O que eu quero dizer é que nada é definitivo. Então devemos agir como gostaríamos de viver pro resto de nossas vidas, porque quando as pessoas dizem que : 'tudo o que se planta, se colhe' ou 'não faça com os outros, o que você não gostaria que fizessem com você', elas estão certas. O futuro, é incerto.

quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

Decisões ...

Vai chegando no final do ano e eu fico assim, meio triste. Um pouco por tudo que deixei de viver, e um pouco pelo que vai vir. É uma espécie de insegurança, principalmente levando em consideração a importancia que 2009 terá na minha vida.
É, ano de vestibular, de escolhas.
Sei que muita gente já passou por isso, e que mais pessoas ainda tem 'receitas' de como passar por isso. Mas é dificil. As vezes parece tão monstruoso.
E quando eu começo a ter minhas certezas, acontece algo que me deixa confusa.
Há dois anos atrás eu tinha certeza de que seria advogada, que era a carreira da minha vida. Ao começar o meu técnico entendi que seria melhor sucedida se fizesse economia. E enfim resolvi fazer Engenharia de Produção.
Eu entendo que mudar é normal, e que na minha idade eu ainda posso me dar ao luxo de mudar tanto assim, mas de repente, quando tudo parece seguir o caminho certo, me pegam 'de jeito'. (não, eu nao estou falando de nenhum garoto, dessa vez).
Mas eu tava vendo um vídeo de uma palestra do Steve Jobs, o fundador da Apple, da Pixar, um cara bem sucedido. E no vídeo ele falou sobre fazer as coisas com amor, fazer o que realmente gosta, e só assim conseguir ser bem sucedido.
Pra falar bem a verdade, se existe uma coisa que eu faço com amor é escrever. Não sei se estou preparada pra ir atrás disso, nem sei bem como usar esse amor todo numa carreira. Sinto como se fosse me arriscar demais, trocando uma carreira de engenheira, por uma de escritora. Não sei.
Começar um ano tão importante como 2009 com dúvidas, é complicado pra mim. Quase que inaceitável.

Se quiserem, os links dos vídeos tão ae. São meio longos, mas garanto que vale a pena!
Parte 1 e Parte 2

>> Recebi um selinho... prometo que no próximo post ele vai tá aquii ok!?

Beeeijos
;@@

sábado, 13 de dezembro de 2008

Propaganda.

Eu e uma amiga, a Dani, criamos um blog: ' Como perder aquela garota.

' Nós duas já tinhamos uma vontade de ajudar aqueles garotos que pensam que estão fazendo a coisa certa, e estragam tudo. Que perdem a oportunidade e não entendem porque.
Já tinhamos até falado que deveríamos montar palestras sobre isso, e ganhariamos muito dinheiro. Tá, nossas idéias nem são tão inovadoras assim. Mas pelo menos falariamos sobre uma coisa que a gente realmente entende: o que eles fazem que a gente não suporta.
Porque são os pequenos detalhes, as primeiras palavras, os minimos gestos, que podem acabar de vez com um possível relacionamento.
E é exatamente isso que vamos escrever, coisas que não se deve fazer ou falar pra uma garota. '

Quem se interessar, passa por láá!! ^^

*********

O que acharam do novo layout??
Beeeijo
;@@

sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

Em família.



Refeições em família é sempre a mesma coisa.
Todo mundo ri, todo mundo se diverte e sobra pra mim. Sim, sempre vem um e pergunta: ' E o namoradinho?'
Que droga, todos eles sabem que eu não namoro. Que meus pais não deixam (é eu tenho 16 anos e eles não deixam), que eu não tenho tempo, e mais ainda que eu sou uma garota super dificil de lidar. E vêm com esta pergunta?
Se eu estivesse namorando, é lógico que ele estaria lá, junto comigo 'aguentando' a minha família! ¬¬'
E o pior é que eu ainda tenho que responder com um sorriso no rosto, ' ah vó, eu não vou começar a namorar agora e me prender a ninguém não, eu tenho que pensar nos estudos' e então meus pais, que estavam do lado prestando atenção pra ver a resposta se entreolham orgulhosos.
Estou cansada disso. Cansada de ter que responder. De não ter ninguém.
No fundo (só no fundo) não é culpa deles se eles querem saber porque eu não estou com ninguém, e nem culpa dos meus pais se querem que a 'menininha' deles não se apaixone por nenhum 'marmanjo'. Mas o que me incomoda é que eles nem percebem que isso me irrita, me afeta. Sim, eu preferia estar namorando agora. Ter alguém com quem dividir os meus momentos. Só que não vou ficar por aí com uma plaquinha dizendo 'Quero um namorado'. Muito menos reclamando que estou solteira. Cada coisa no seu tempo.
Eu só achei que família era pra ser diferente. Que com eles eu poderia ser sincera, essa coisa de ser eu mesma.

******

Tá, eu amo todos eles, e minha família é essencial na minha vida. Mas, essas coisinhas as vezes cansam.
Hoje eu me livro da pior parte na escola. Prometo que as coisas começam a voltar a rotina normal.

;@@

quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

Desafio Musical.

Pra quem acompanha o blog a algum tempo, sabe que eu já respondi um parecido com esse, e era com as músicas da Ivete. Mas, como recebi esse desafio musical da querida Juliana, resolvi responder de novo!

»Regras:
I. colocar uma foto individual nossa;
II. escolher uma banda/artista;
III. responder às questões somente com títulos de canções da banda/artista escolhido;
IV. escolher 4 pessoas que respondam ao desafio, sem esquecer de avisá-los.

I. A foto


II.O Teatro Mágico. Quem já ouviu, sabe o quanto é viciante. Em todas as músicas eu consigo encontrar, pelo menos uma frase, em que eu me identifico!

III. As respostas

» És homem ou mulher? Menina
» Descreve-te: Eu não sei na verdade quem eu sou
» O que as pessoas acham de ti? Alguma coisa
» Como descreves o teu último relacionamento: Uma parte que não tinha
» Descreve o estado atual da tua relação: Cuida de mim
» Onde querias estar agora? Na varanda
» O que pensas a respeito do amor? Entrada para raros
» Como é a tua vida? Amadurecência
» O que pedirias se pudesses ter só um desejo: Folia no meu quarto
» Escreve uma frase sábia: O tudo é uma coisa só.

IV. Eu deveria indicar quatro pessoas. Mas, responde quem quiser, ok??



Beeijo geente...
assim que diminuir a correria, posto algum texto deceeente!
;***

terça-feira, 2 de dezembro de 2008

Desabafo.

As vezes, me sinto tomada por uma sensação de fraqueza.
Principalmentes as vésperas da apresentação do meu trabalho de conclusão de módulo (o tal do TCM), é tipo um TCC de faculdade, onde eu tenho que apresentar um projeto pra uma banca avaliadora, faço isso uma vez por semestre.
E não, não está nada dando certo. Os resultados não batem, os números nao se encaixam. E tudo o que eu aprendi parece de desapareceu.
Dá aquela vontade imensa de jogar TUDO pro alto. Desistir do curso, dos meus sócios, (pq além de tudo o trabalho é em trio), dos professores.
As lágrimas saem dos olhos diariamente, e não é por tristeza, mas por uma espécie de desespero+cansaço.
Tenho passado mais tempo na frente do computador do que na minha cama. Estou no meu menor peso desde o fim do ano passado. Me alimentando mal pra caramba, dormindo mal pra caramba. Nessa altura do semestre os relacionamentos já estão totalmente desgastados. O que me faz lembrar do filme 'O diabo veste Prada', naquela cena em que a protagonista ouve algo do tipo 'quando sua vida sentimental estiver se desfazendo é sinal de que vc será promovida'.
Tá, eu estou longe de uma promoção, mas não aguento mais. Não mesmo.

quinta-feira, 27 de novembro de 2008

Miopia.

' É a condição em que os olhos podem ver objetos que estão perto, mas não são capazes de enxergar claramente os objetos que estão longe. A palavra "miopia" vem do grego "olho fechado", porque as pessoas com esta condição, freqüentemente apertam os olhos para ver melhor à distância.'(Miopia)

Pode-se dizer que um olho míope é um tanto egoísta, não?! Enxerga aquilo que está perto, mas as coisas longe... ah, essas são dificeis de ver!
Tenho encontrado algumas pessoas com sentimentos míopes, e talvez até eu esteja assim. Preocupada demais em fazer aquilo que eu quero, que eu acho que é certo. E quanto a boa convivência? Por experiência própria posso dizer o quanto é complicado enxergar o que está longe. Quanto esforço é necessário pra entender aqueles que não estão tão próximos. Para isso existem os óculos, os facilitadores de relacionamentos. Aqueles que estão no meio do caminho, que nos ajudam a ler o ilegível, entender o mais confuso!
Podem até não serem nossos melhores amigos, porque se fossem, teriam a mesma 'miopia' que a gente, mas esses facilitadores são essenciais para que não nos fechemos naquele nosso foco, ou ângulo de visão. E quanto mais as pessoas demorarem pra perceber que precisam de óculos, maior será o grau de miopia, o que vai, gradativamente, fazê-las perder a visão.

É, eu descobri essa semana que tenho 0,5 grau de miopia em cada olho!
;P

----------------------------------

A correria do final de semestre está me enlouquecendo, então saiu um tanto viajado...
=XXX


domingo, 23 de novembro de 2008

Eu só queria que você soubesse.

De maneira bem sutil você continua me fazendo perder a fala.
Meus pensamentos não fazem sentido quando você se aproxima. E parece que você percebe.
Me sinto covarde perto de você. É, covarde.
Eu fico horas ensaiando uma maneira de dizer tudo na sua cara. E quando eu devo dizer, nada sai de minha boca. Até aquele meu lindo sorriso, aquele que os outros elogiam, desaparece.
Você precisa saber, o que eu sinto, o que senti. As esperanças que tenho. Não sei se você merece. Mas agora sinto como se não importasse. Eu queria te contar. Queria ver sua reação. Te ver.
Por que esse jogo? Para de brincar comigo. Por que não desaparece de uma vez?
Isso dói. Queria jogar na sua cara o quanto você me machucou. O quanto me fez chorar.
Para de fingir que você é bonzinho. Eu conheci de perto a sua maldade. A sua frieza.
Nada que você faça vai mudar o que está dentro de mim.
Eu só queria que você soubesse.

sexta-feira, 21 de novembro de 2008

Céu e mar.
Quantas vezes pedi ao mar, que me realizasse meus sonhos. Quantas vezes pedi ao céu, que me levasse ao infinito.
Aquela doce ilusão de que o universo conspiraria em meu favor. Que eu poderia esperar ali, na sombra, enquanto tudo estava sendo preparado para mim.
Não deixei de sonhar, não deixei de pedir. Apenas sei que eu tenho que me esforçar. Tenho que saber exatamente o que eu quero.
Se eu não buscar, ninguém mais fará por mim. Se eu não acreditar, mesmo que alguém acredite, não será suficiente. Talvez nunca seja suficiente. Talvez eu e você nunca sejemos nós.
Incompatibilidades. Assim como doar sangue. Emprestar um sapato. As vezes, simplesmente não combinam. Nisso que está a beleza. Nos encaixes. Queijo com goiabada. Limão com couve. Céu e mar. Substantivos que não precisam de complemento. Não que os desprezem, apenas permanecem bonitos sozinhos .
Porque na verdade, nada está totalmente sozinho. Nada está totalmente completo.

quinta-feira, 13 de novembro de 2008

Palavras.

Palavras podem não ser a maneira mais sincera, mas têm sido a mais eficiente pra tratar comigo.
Palavras bonitas, palavras pensadas, palavras ausentes.
Não faz diferença se são verdadeiras, ou apenas fantasias.
Elas simplesmente me afetam.
Declarações, segredos, momentos; responsáveis por reações espontâneas e incontroláveis.
O corpo estremece a cada palavra falada, cantada, sussurrada. Seja pra mim, seja pra outra.
O coração dispara a cada palavra que fica subentendida. A cada vontade expressa nas entrelinhas. Cada palavra.
Aquelas que não foram ditas, e pior, não foram pensadas, que são capazes de acabar com um sonho, frustrar um desejo. Aquelas escondidas. Aquelas que você não desejou dizer. Cada palavra.
Aquelas que juntas formaram uma linda história. As frases feitas, faladas no momento certo, pra causar efeito. Palavras estranhas, palavras...
Aquelas escolhidas aleatoriamente, e que fazem todo sentido.
Palavras eternizadas. As que você tornou inesquecíveis. Palavras. Cada palavra.
"Palavras, palavras, palavras
Desde quando sorrir é ser feliz?" ♪

sexta-feira, 7 de novembro de 2008

Apenas 10%.

Acredito que a maioria das pessoas, se não passou, vai passar por esse problema: a distância.
Na linguagem corrente, distância é a medida da separação de dois pontos.(...)então a distância é o mínimo comprimento entre as possíveis trajetórias sobre a superfície partindo de um ponto e atingindo o segundo.(Wikipédia)
Não sei até que ponto a distância tem sido mínima na minha vida. As vezes eu sinto como se fosse longe o suficiente para que eu nunca alcançasse 'o outro ponto'. E eu não me refiro apenas a distância em quilômetros. Uma música do Darvin diz: 'Quem foi que disse que pra tá junto precisa tá perto'; vários estão perto, bem perto, mas não estão junto. E alguns estão longe, a horas de distância e parecem estar tão presentes. Amigos, familiares, pessoas que amamos.
É fato que algumas pessoas farão parte das nossas vidas e depois de um tempo continuarão seu caminho sem nós. E eu não quero pensar em despedidas. Não agora.
Mas, quantas oportunidades perdemos, gastando tempo sem querer gastar. Ouvindo coisas que não queremos ouvir. Desejando estar perto de alguém que está bem longe.
Alguns desses inconvenientes, infelizmente, são inevitáveis.A vida nos faz viver muitas coisas dolorosas, seria besteira nós também nos obrigarmos a isso.
Não é questão de se fechar para o mundo e se tornar uma pessoa apática. É simplesmente aproveitar cada instante, sem gastar o nosso precioso tempo, com coisas que definitivamente não nos fazem bem.
É possível filtrar nossas relações, sem brigar com meio mundo, sem cortar relações com ninguém. Apenas aproveitar os momentos com as pessoas agradáveis. Um amigo me disse: "Má, nós aproveitamos no máximo 15% da nossa semana, faça as contas você mesma, quanto tempo você realmente é feliz, sem se preocupar com nada, sem se estressar, não passa de 15%". Eu fiz. 10% quando a semana é boa. Realidade frustrante.
No meu caso, isso se deve principalmente pela distância. Em alguns momentos, a distância que eu imponho, em outras a qual me é imposta. Ambas desgastam e atrapalham.
Se tratando de distância, o tempo não tem sido muito meu aliado. As 24h do meu dia já não são suficientes, os horários já não batem.
A saudade aperta. A vontade aumenta. A distância separa.

Eu já acreditei que o tempo só tornava as coisas piores, agora torço para que isso não seja real.

domingo, 2 de novembro de 2008

=S

É complicado achar um equilíbrio, entre aquilo que você não quer mas que precisa fazer por alguém.
Ultimamente tenho tido conflitos com isso. Não sei até que ponto é justo abrir mão das minha vontades pra fazer alguém feliz. Até que ponto eu devo abrir mão de mim mesma.
Quantas vezes renunciei algo pra conseguir atingir um outro objetivo.
Quantas vezes renunciei e não valeu a pena.
Um professor me disse:
Só aprende a ser feliz sendo-o, procurando, renunciando a algumas coisas, desde que essas não signifiquem uma ruptura interna e sim acomodações.
Não consegui entender ainda um modo de acertar na medida. Provavelmente só vivendo, e testando. Confesso que dói, principalmente quando a gente erra. Quando se importa demais com quem não merece. Quando se doa pra alguém que não quer. Quando faz pra alguém que não se importa. Alguém que não reconhece.
No meu caso, renuncia está totalmente ligada a reconhecimento. Por mais que eu saiba, me esforço para que as pessoas digam, para que as pessoas gostem, pra que elas reconheçam.
Se trata de uma busca inútil, e um tanto infantil.
É isso que eu tenho sido ultimamente. Uma criança.

***********

Geente fiqueeeei MEGA feliiz...
mais de 800 visitas neste humilde blog!
Agradeço de verdade a todo mundo que gosta, que lê, que comenta!
*Os selos sumiram, mas eu tô tentando colocá-los de novo!

Beeeeijos
;@@@

segunda-feira, 27 de outubro de 2008

Cansei de ser ímpar ?!

Olho em minha volta. Todos tem seu par. Amores correspondidos, alianças nos dedos. Paixões arrebatadoras. Isso dói.
Eu não quero lembrar de você como meu maior amor.
Sim, eu quero mãos dadas, abraços apertados, beijos apaixonados.
Sem mentira, sem juras eternas, apenas viver.
Não quero disputar com fantasmas o amor de alguém, nem quero implorar pra ser amada. Não.
Mas eu queria que acontecesse. Que fosse algo pra valer a pena.
Alguém pra chamar de meu amor, pra inventar apelidos carinhosos e romanticos, mesmo que isso seja ridículo. Pessoas apaixonadas são patéticas. Eu quero ser patética, uma patética correspondida. Quero alguém pra me ligar de madrugada. Alguém que pense em mim antes de dormir.
Quero ouvir uma música, lembrar de alguém e sorrir, só de pensar que ele deve estar ouvindo e pensando em mim.
Um romance que talvez nem seja pra sempre. Mas um amor que eu me orgulhe de levar pra vida inteira.
Quero um dia, olhar pro que vivi e sorrir, me orgulhando de ter dividido minha vida com alguém que me fez feliz. Quero ser feliz!
Não quero roubar o amor de niguém, e não vou ficar correndo atrás...
Vou continuar aqui, esperando alguém pra me levar tomar sorvete.!

quinta-feira, 23 de outubro de 2008

Adeus.

Toda despedida gera em mim várias emoções.
Tristeza. Saudade. Náuseas. Alívio. Medo. Certeza. Insegurança.
Algum sábio já disse: as coisas duram o tempo necessário para serem inesquecíveis.
É fato que nesse caso durou tempo demais, causando mágoas eternas (por enquanto).
Algo dentro de mim me fez renunciar, não a mim mesma, mas renunciar aquele sentimento que já havia passado dos limites. Confesso que foi mais simples do que eu imaginava.
Sei que dizer 'chega' não significa deixar de sentir. Mas eu decidi não sofrer!
Se não me falha a memória, foi Carlos Drummond que escreveu:
A dor é inevitável, o sofrimento opcional.
Eu me apego a essas palavras, e faço de hoje, um dia especial. Um recomeço. Uma mudança.
Algumas pessoas nem notarão a diferença. Sim, pessoas que convivem comigo e me conhecem, mesmo essas dificilmente perceberão que ele foi expulso de dentro de mim.
Mesmo que eu gastasse todo o meu vocabulário, que não é tão pobre, eu conseguiria explicar o que me fez tomar essa decisão, e de onde surgiu a coragem. Eu não sei.
Não sei se foi por sentir de novo a indiferença, ou por não ter mais tempo a perder com algo que não tem futuro. Agora, eu não quero. Não é mais questão de 'tanto faz'. É um seco e direto NÃO.
Não pra ele, não pras lembranças. Não pra dor.

sexta-feira, 17 de outubro de 2008

Eu queria ser forte...

Cada tentiva é vã. Busco forças pra tentar dizer chega. Mas a esperança fala mais alto. Não sei ao certo o que ela pretende, me iludindo com lembranças de algo tão distante.
As vezes tenho até dúvidas se aquilo que vivi foi mesmo tão bom assim. Ou se até isso é fantasia.
De fato você nem sonha que ainda faz parte da minha vida. Dói, mas eu sei que é melhor assim. Você não entenderia. Você não me entendeu uma vez.
Tenho seguido a minha vida, e meu mundo não parou por sua causa. Mesmo quando me arrumo toda pensando que vou te ver. Mesmo quando entro no msn pra ver se você esta online.Mesmo quando fecho os olhos pra tentar te encontrar. Minha vida teve continuidade.
Eu não sou mais aquela menininha boba que chorou por você. E por mais que doa, eu não choro mais.
Fujo das estrelas pra tentar não pensar em você. E quando olho meus próprios olhos me decepciono, por saber que a culpa é minha.
Não por você não estar aqui, porque isso foi escolha sua. Mas por sofrer. Eu poderia tratar essa situação como alguém mais madura. Pois pessoas maduras sabem que as coisas nem sempre são como a gente sonha.
A única coisa que eu gostaria é ter força suficiente pra dizer não pra mim mesma. Pra dizer não pra você.

A espera não pode matar a esperança. E ambas não podem matar o coração!



Geente...
Garanto que essa sequencia de posts sobre ele vão acabar logo.

Beeeijo
e um ótimo fim de semana!

sexta-feira, 10 de outubro de 2008

Um momento.

As músicas no rádio só me fazem lembrar você. Cada detalhe, cada frase, cada som.
Queria que pelo menos por um dia você saísse de dentro de mim. Que NADA me fizesse pensar em você. Que eu deixasse de lembrar daquilo que nunca esqueci.
Você já não faz parte da minha vida, e sei que são as lembranças que me corroem. Você não é mais o mesmo, eu sei que não, mas a vontade de te ter novamente é mais forte. Fico imaginando nós dois, como seria se você estivesse aqui.

Forever and ever! For all the all! s2


O que mais dói, é pensar que você nunca vai ler, os textos que fiz sobre você.

sexta-feira, 3 de outubro de 2008

Do fundo de um baú...

Gostaria poder entender o motivo de tantas esperanças colocadas nesta situação, os pensamentos falham, faltam palavras, é uma espécie de frustração e de confiança, a procura de algo diferente, algo que diga que ainda há uma chance ... Eu tenho sonhos e desejos de que tudo seja diferente. O olhar não pára, como se procurasse um mínimo sinal de mudança...

As lembranças do passado misturam-se com os planos de futuro e não sei o que é real ou apenas aquilo que é ilusão...
Saudade, nostalgia, um suspiro de alívio, uma memória, um objetivo, tudo se mistura e torna-se confuso. Planos de uma vida diferente, o medo de uma mudança radical, a incerteza da adolescência, os conflitos de idéias e a falta de compreensão - de que lado? Ambos!
Procura por sorriso,
um abraço, uma gentileza, algo que seja mais do que um ritual, deve vir de dentro, deve ter sentido, ser importante...
Medo do pavor que me acompanha...
Como posso aceitar esta situação? Como é que eu não tomo alguma atitude? ‘
Deixar acontecer’... Doce ilusão de que isso faz um problema terminar, penso que fugir é a decisão mais fácil, que dói menos, ou apenas que esconde a dor...
Perdas, falhas, mudanças, eu acho que isso é viver...
Porque isso está acontecendo comigo? Talvez tenha que ser desta maneira ou seja isso o que eu mereço....
Se estou triste? Como poderia?! Se o meu maior problema é só ser ou não ser...

Apenas compreender os conflitos da minha mente... !

(texto escrito por eu mesma há um ano atrás)


Em um ano algumas coisas dentro de mim mudaram de verdade.

Aceitei o fato de que só com a possibilidade de ver ele as minhas pernas vão continuar tremendo, e não tem como evitar.

Aceitei que por mais que eu queira, as pessoas não vão me escutar sempre.

Aceitei que mesmo que eu tenha muitos amigos, os momentos mais difíceis eu vou passar sozinha (talvez eles sejam considerados mais dificeis exatamente pq eu terei que viver sozinha).

Aceitei que mesmo que eu não faça nada, sempre vai ter alguém que vai gostar de mim.

Aceitei que mesmo que eu me esforce muito, sempre vai ter alguém me não me suporta.

E provavelmente o mais importante, que o tempo pode passar, mas enquanto eu viver vão existir dúvidas dentro de mim. Talvez isso seja viver!


segunda-feira, 29 de setembro de 2008

;)

Post ráápido...
pq eu já tô atrasada...
Eiita correria na minha vida viiu... é Feira de Projeto da escola, é prova do técnico, é PlayCenter...
maaas TUDO vale a pena.

Por causa dessa Feira de Projetos, tivemos que estudar a fundo a quantidade de impostos que pagamos em cada produto, especialmente os produtos que consumimos diariamente.
É assustador o tamanho da carga tributária!! E o que mais me assusta é que o povo brasileiro não reclama do tanto de impostos que pagam. E no fundo eu até que concordo com isso.
O que não dá pra aceitar é pagar tuudo o que pagamos e ainda não ter o que deveríamos ter com isso.
Países que pagam bem menos imposto que a gente, tem uma saúde pública boa, educação gratuita, mas uma verdadeira educação! E aqui nesse país maravilhoso (sem ironias), o governo
recebe muuuito dinheiro do povo, mas não retorna.
Inaceitável.
Até quando vai ser assim?? Até quando vamos aceitar essa realidade?? e pior ainda... será que tem como mudar?
Perguntas que eu relmente não sei responder. Não tenho mais tanta fé de que isso mude, de que a 'culpa' seja determinado presidente, ou partido político.
Mas o fato é que, o nosso Código Tributário foi criado em 1966, um tanto velho não?!

domingo, 21 de setembro de 2008

(In)certezas

Percebi que ultimamente eu tenho estado muito sentimental. Tudo que eu escrevo tem um tom de tristeza, ou incompreensão. Mas não tenho conseguido evitar.
Uma amiga me disse que o meu tom literário está mudando, mas prefiro pensar que eu estou 'literando as minhas mudanças'.
Todo mundo diz que adolescência é um périodo de mudanças e instabilidade. Me vejo totalmente incluida nisso.
Algumas das convições que eu tinha desde a minha infância, hoje eu não considero mais verdades.
Pessoas que eu amava de paixão, hoje já não fazem nem parte das minhas boas lembranças.
Cada detalhe da minha vida, tem me feito pensar o quanto é inútil planejar, e lutar contra deus e o mundo a favor de alguma convicção.
Brigar com pessoas por algo que você acredita pode ser e é muito arriscado, nunca se sabe se amanhã você ainda vai ter certeza daquilo.
Não estou dizendo que não se deve lutar por mais nada. Mas, que quando você for lutar por algo, tenha plena certeza que as chances de você se arrepender não são tão pequenas.
Acima de todas as incertezas, de todas as dúvidas, de todas as lágrimas, o que realmente vale a pena é viver a própria vida. De acordo com as próprias escolhas. Porque a pior coisa é se arrepender por ter feito algo que alguém disse que seria o melhor!

É, eu tô confusa e já errei na prova por ter colado da amiga da frente, com medo de arriscar naquilo que EU achava que era certo e me arrependi.

segunda-feira, 15 de setembro de 2008

Ela ; ele !

Tudo vai mudar. Foi o que ela prometeu naquela noite, dabaixo de chuva, sozinha em meio à muitas lágrimas. Mesmo que mais ninguém tenha notado, algo nela realmente mudou. Estava exausta, sendo corroida por um sentimento indecifrável. Não tinha mais opção, e mesmo se tivesse, já havia feito a sua escolha.
Ele, nem perceberia a mudança, estava longe demais, ausente por completo.
Ela agora precisava se refazer, queria ter companhia, mas nada que ela conhecia poderia satisfazê-la. Ela queria mais, queria que fosse intenso, sincero, bonito. Não fazia questão de que fosse eterno, apenas profundo.
Outros estavam ali, tentando conquistá-la. Qualquer esforço seria vão. Ela não queria aqueles. Ela nem bem sabia o que queria. Mas não aqueles.
As lágrimas continuavam caindo, mas agora eram diferentes, não doíam tanto. Ele ligou, ela atendeu. Foram instantes de puro silêncio, ele mesmo desligou.
Ela fechou os olhos, ele não se mecheu. Ela desistiu, ele sussurou algo, baixo demais que ela não pode ouvir...

quarta-feira, 10 de setembro de 2008

Meme ! \o/

Meme indicado pela Isa e pela Malú

1. Sete coisas que faço bem:


-Chorar
-Pintar guardanapo
-Comer
-Assistir Tv
-Jogar handebol (principalmente defesa)
-Dar conselhos
-Cálculos de Arrecadação do Simples Nacional

2. Sete coisas que não faço e não sei fazer

- Brigar (de tapa meesmo)
- Imitar animais
- Dormir cedo

- Desenhar
- Lição de química
- Biscuit
- Lavar banheiro

3. Sete coisas que me atraem no sexo oposto:

- Mãos
- Olhar

- Sorriso
- Atitude
- Estilo
- Inteligência
- Cabelo raspadiinho *.*

4. Sete coisas que não suporto no sexo oposto:

- Machismo
- Falta de atitude
- Indecisão
- Vontade incontrolável de estar bêbado
- Unhas compridas
- Prepotência
- Ignorância

5. Sete coisas que digo com freqüência:

- Sabe...
- ãnh?
- juura?
- disfarça..
- Tiipo...
- ou não..
- Me lembra...

6. Sete atores/atrizes que eu gosto:

- CHAD MICHAEL MURRAY
- Sandra Bullock
- Fernanda Montenegro
- Julia Roberts
- Rodrigo Hilbert
- Bruce Willis
- Richard Gere

7. Sete atores/atrizes que eu detesto:

- Jim Carey
- Cauã Reymond
- Débora Secco
- Stênio Garcia
- Cauã Reymond
- Cauã Reymond
- Cauã Reymond

8. Sete filmes que eu detestei:

- A espera de um milagre

- Como se fosse a primeira vez
- As loucuras de Dicky e Jane
- Shrek 3
- A lagoa Azul
- Separados pelo casamento
- King Kong

9. Sete filmes que eu adoro:

- A nova Cinderela
- As patricinhas de Bervely Hills
- Titanic
- Homem Aranha 1 e 2
- Harry Potter (todos)
- Ela é o cara
- Meninas Malvadas

10. Sete livros favoritos:

- Senhora
- O primo Basílio
- Se eu não estiver por perto
- O caçador de Pipas
- Orgulho e Preconceito
- Filhos Brilhantes, alunos Fascinantes
- Você é olíder da sua vida?

11. Sete coisas legais nos últimos sete dias:

- Pintei meu cabelo sábado
- O bonitinho que trabalha no mercado perguntou se eu namoro
- O remédio pra rinite tá funcionando
- Reencontrei um 'amor' de dois anos atrás
- Fui chamada de 'dengosa' (pode não ser legal, mas foi engraçado)
- Cantamos Edson e Hudson na aula de física
- Assisti uma aula de geografia economica na faculdade da minha tia

12. Sete constatações inúteis:

- Eu sou loira
- Tá passando o jogo do Brasil na tv
- minha unha quebrou
- um carinha idiota acabou de me chamar no msn
- tô com vontade de jogar handebol
- preciso de fotos novas
- o namoro de três anos da minha prima acabou

13. Sete pessoas que desafio a responder às perguntas acima

Camila
Abóbrinha
Mayra
Naty
Kinha
Lehh'
Babee

-x-

Por hojee é só..
amanha eu respondo os comentários!!
E brigada pelo apoiio geente!!
^^

;*******

segunda-feira, 8 de setembro de 2008

Perfeição?! +o(

Embora nos esforcemos para agradar deus e o mundo, sempre encontraremos aqueles que não gostam da gente. Mesmo sem motivos aparentes. Mesmo sem justificativas plausíveis, e isso é inevitável.
Quantas vezes me peguei lamentando, não por ter perdido um amigo, mas por ter 'ganhado' alguém que não gostava de mim, e mais ainda, quantas vezes me vi chingando pessoas que eu achava que gostava.
O mundo dá mesmo muitas voltas, e quando pensamos que nada mais pode dar errado, acontece.
Percebo o quanto queremos que nossas vidas sejam previsíveis, e o quanto reclamamos da mesmice. O quanto queremos sempre o melhor dos outros, e o quanto nos esquecemos de valorizar aqueles que estão conosco.
São nos momentos em que nos vemos sem saídas, que entendemos o valor de viver. Nos momentos em que estamos julgando, chingando, reclamando que percebemos (ou não) o quanto nossas palavras podem ferir.

As pessoas cobram de nós a perfeição, enquanto o que buscamos é apenas a sobrevivência. Não sei bem se é certo ou errado pensar nas próprias vontades antes de fazer o que os outros querem, só sei que se eu não estou feliz, não posso fazer ninguém feliz!
Na vida só há uma coisa definitiva, a morte. Então, enquanto estivermos vivos poderemos nos esforçar pra conseguir aquilo que queremos, não é questão de certo ou errado, apenas de fazer tudo o que estiver ao nosso alcance, de ir atrás dos objetivos, e buscar nossas próprias vontades.
Se alguns se incomodam com isso, paciência.


'Quando me amei de verdade comecei a me livrar de tudo que não fosse saudável. Pessoas, tarefas, tudo e qualquer coisa que me pusesse pra baixo. De início minha razão chamou essa atitude de egoísmo. Hoje sei que chama AMOR-PRÓPRIO!' Charles Chaplin.

terça-feira, 26 de agosto de 2008

=X

Uma das coisas mais difícei pra mim é não conseguir me expressar, não conseguir escrever.
Sei que faz um tempão que eu não posto aqui, mas garanto que tentei, inúmeras vezes...
Mas nada do que eu escrevi parecia valer a pena.

As coisas têm acontecido de tal maneira, que minhas palavras não fazem tanto sentido, não são mais tão agradáveis, nem tão bonitas.. Tudo parece falso e sem fundamento.

Não sei quanto tempo vai durar essa minha 'abstinência', mas eu REALMENTE espero que passe logo...

Beeeeijo geente
e se cuiidem!
;***

terça-feira, 5 de agosto de 2008

Medo ?!

Sei que tenho conduzido meus textos para uma 'reflexão' da importância da vida, e que isso provavelmente seja uma fase. Pretendo mudar isso. Ou pelo menos tentar.


A maioria das pessoas, pelo menos as que eu conheço, tem um medo enorme de assumir suas vontades, desde suas bandas preferidas até quando estão a fim de alguém.

A resposta anterior ao medo é conhecida por ansiedade. Na ansiedade o indivíduo teme antecipadamente o encontro com a situação ou objeto que lhe causa medo. Sendo assim, é possível se traçar uma escala de graus de medo, no qual, o máximo seria o pavor e, o mínimo, uma leve ansiedade. (tá lá no Wikipédia)

Se levarmos em consideração que geralmente tememos aquilo que não conhecemos, esse sentimento se torna até justificável, mas quando começamos a fugir, por 'sabermos como vai terminar', nos tornamos insensatos, já que nada é tão previsível quanto parece. E se torna ainda pior, quando o que nos impede de fazer, é o medo da reação das pessoas, do que elas vão pensar, achar e falar.
Considero isso lamentável, porque assim as pessoas acabam perdendo a chance de fazer o que gostam, só pra agradar aos outros, que nem se importam com elas de verdade e querem apenas comentar sobra a vida alheia.
Cada vez que eu vejo um amigo sofrendo por amor, sem nem ter dito à pessoa que a amava, sinto uma mistura de raiva e dor. Talvez se tivesse dito, teria uma chance. Mas o pior arrependimento é o de não ter feito, não ter tentado.



É, eu já escondi amores, fugi de sentimentos e já me arrependi de ter ido até o fim.

sexta-feira, 1 de agosto de 2008

Selos!

Siim...
Eu ganhei váários selinhos!!
Quero agradecer a Malú que escreve no Pizza e chocolate, a Talita do A menina do óculos rosa e o Diego de A casa das idéias!!!!
Brigada Meesmo!!!





Vou repassar todos... quem já tiver algum me perdoe...

Pro Diego, dA Casa das Idéias
Pra Camila, do Lendo com Coca-Cola
Pra Mayra, do Nutella com Morango
Pra Maria Fernanda, do PS
e pro Trio, do Mundo cólica.

******************

Aiinda assustada..
Quando as coisas tem que acontecer, acontecem!
Um simples jogo de interclasse, apenas 20 min., um menino da escola caiu (como sempre acontece nos jogos) bateu a cabeça, teve traumatismo craniano e convulsões.
E eu vi tudo. Ainda bem que ele tá bem, num ótimo hospital, fazendo exames e mais exames.
Ninguém está livre dos acidentes da vida.
A qualquer momento, de qualquer modo, pode acontecer!! Aproveitemos a vida, como se fosse o último dia, o último suspiro, o último abraço, o último beijo. E assim poderemos dizer que VIVEMOS INTENSAMENTE!

Beeeeijo
se cuidem!
(L)


terça-feira, 29 de julho de 2008

Siim, eu sumi... (só um poquinho) nem sei se é uma boa explicação, mas o fim de semana foi corrido, e minhas aulas voltaram ontem.


Várias coisas marcaram esses meus últimos dias vagabundeando, mas não acho que eles dariam um bom post, que é o mínimo que quem visita aqui merece. Então vou falar duma coisa que eu tava refletindo já faz algum tempo: a confiança.
Pessoas como eu tem uma capacidade enorme de confiar em quem não merece, de acreditar e valorizar pessoas que nem se importam com o que sentimos por elas. E quando eu penso nisso, me refiro principalmente na amizade, que é onde tudo começa.
Cada vez que decidimos confiar em alguém, estamos nos expondo e correndo riscos.
Passei um bom tempo acreditando que a melhor coisa a se fazer é ser seletivo, e acreditar em poucos (mesmo não conseguindo ser assim). E confiar desconfiando; sempre se precaver (da onde eu tirei essa palavra?) pra não sofrer. E o resultado disso: estar com pessoas que realmente gostem da gente.
Atualmente, discordo dessa teoria, não por achar que ela é ineficiente, mas por achá-la inviável. Perder tempo em se preocupar, além de dar rugas e por incrivel que pareça preocupações, torna o grupo de pessoas confiáveis ainda menor. Já que pessoas que não confiam na gente são desagradáveis. O que eu estou tentando dizer é, desconfiança gera desconfiança, preocupação gera preocupação. E ser seletivo, as vezes se transforma em não ser flexível, pessoas inflexíveis acabam sozinhas. Ainda não sei se dói mais estar só, ou se decepcionar com quem confiávamos.
De fato, embora seja um tanto frustrante, as pessoas nem sempre vão gostar da gente como a gente gostaria, e elas não tem culpa disso. Mas os amigos de verdade, os que a gente pode confiar, são aqueles que a gente consegue perdoar, e o mais importante sabemos que vale a pena perdoar.
Porque acredito que é disso que a vida deveria ser feita, de momentos, pessoas e situações que valham a pena.
E como disse Charles Chaplin:

Porque o mundo pertence a quem se atrave e a vida é MUITO para ser insignificante.

***********************************************************************************0

Me sinto realmente feliz, pelos váriios selos que recebi por esses dias...
Prometo que posto e repasso ainda essa semana!! Eles já estãão ali do lado >>


Beeeeeeijo geente!!!
;********

quinta-feira, 24 de julho de 2008

Fogão..

Tudo aconteceu de repente, e sem explicações. Simplesmente eu fiquei irritada e imprevisível.
É engraçado(?!) como nossos 'sempres' e os nossos 'nuncas' adoram se desfazer.
Já faz algum tempo que digo não à cozinha, mas no sentido de cozinhar mesmo, evitando ao máximo o fogão. Não quero enfatizar o que me fez passar a tarde inteira fazendo um "Bombom de colher de morango e chocolate", e sim o fato de sermos instáveis.
Falo no plural apenas pra me sentir menos estranha; quero acreditar que esse meu 'surto' é coisa de TPM... ou stress por ficar muito tempo em casa...
Mas o fato é o meu sempre se trasformou em as vezes, eu não posso negar que o tempo que eu gastei ali me fez parar de pirar. Por algumas horas eu não fiquei pensando no que fazer, em como fazer.
É nesses momentos que a gente percebe o quanto pode ser (e é) extremista, logo eu que 'pregava' um mundo sem preconceitos, de certa forma tinha um preconceito com o fogão. Não é o tipo de coisa que sonho pra mim, mas por que não nas horas vagas?
Por que radicalizar e não se abrir pra novas oportunidades? Quem disse que cozinhar faz da mulher 'dona de casa' ?
E pra completar, estava eu conversando com a minha tia sobre presentes pra minha prima que vai completar um aninho, e entre as opções : um fogãozinho lilás e rosa, e se surpreendam: NÃO tinha opção de azul, ou qualquer cor menos feminina. Isso me deixou mais irritada ainda.
Por que um garoto não pode querer cozinhar? A sociedade, e quando eu digo sociedade me refiro à maioria pessoas, indiretamente e até inconscientemente, julga o garotinho que quer cozinhar como um futuro gay(homossexual, ou o termo que preferirem).
Existe coisas, que são como herança e que é difícil de ser mudado. Mas cabe a cada um de nós decidir o que fazer. Palavras são apenas palavras, e chego num ponto onde essas parecem mentirosas, vazias ou ainda hipócritas. Deve haver um jeito de mudar, se não mundo todo, todo o nosso mundo.


No momento, estou me sentindo estranha, com humor super instável e de barriga cheia, porque o doce ficou ótimo!

sexta-feira, 18 de julho de 2008

Saudade.

Essa noite fiquei pensando nesse sentimento que a gente chama de saudade.
Me lembrei da falta que me avô me faz, de pessoas que estavam na minha vida e sairam assim de repente, simplesmente porque estava na hora de partirem.
Muitas vezes a saudade é consequencia de nossos atos, de nossas atitudes, por 'culpa' nossa. Mas também tem coisas que acontecem porque tinha que acontecer.

Saudade um sentimento que traz consigo uma dor imensa a qual somente quem ama realmente sabe o que significa, um sentimento proprio de cada pessoa, que embora tenha o mesmo significado cada um encara de uma meneira, podemos sentir saudades de quem esta perto e ao mesmo tempo longe, podemos sentir saudade de quem ja se foi mas uma coisa que é realmente certa é a questao de que a saudade é o sentimento que logo apos o amor, todos tentam traduzir. (tirado do wikipédia)

Se somente quem ama é capaz de sentir, não seria a saudade um sentimento tão puro e tão forte como o amor? Não quero falar sobre o amor, embora seja difícil separá-lo da saudade.
A coisa mais complicada é deixar de sofrer por saudade, aceitar que se a pessoa partiu é porque não deveria mas estar aqui.
Quantas vezes choramos por saber que a pessoa não voltaria, que o momento não se repetiria, e inúmeras vezes nos preocupamos em pensar se vai ser pra sempre, ao invés de aproveitar o agora.
Quantas vezes perdemos tempo brigando, discutindo e sem perceber deixamos passar momentos, que mais tarde consideraríamos necessários.
Infelizmente nós temos a idéia de que morreremos velhinhos e que sendo assim podemos deixar pra se desculpar depois; acreditamos que viveremos muito ainda e que não é preciso dizer que se ama. Deixamos as pessoas subentenderem que são amadas, mas quase nunca damos certeza.
Se entendêssemos que podemos morrer a qualquer instante, valorizaríamos mais a vida, e se pensássemos que aquela pessoa que a gente ama, mas brigou, também pode morrer antes que dê tempo para a reconciliação, será que correríamos o risco de deixá-la duvidando do amor? Será que a deixaríamos ir embora sem dizer que é importante?
E quem disse que só porque aquele amigo está longe, porque faz tempo que a gente não se fala que ele não merece saber que é querido?
Afinal, acho que a saudade nunca vem sozinha, ela traz o amor de um lado e uma espécie de arrependimento do outro (não acredito que arrependimento seja a palavra mais adequada, mas foi a única que me veio a mente). Traz uma vontade enorme de voltar no tempo, e dar um último abraço, um último beijo, uma última mordida.


É eu sinto saudade, já me arrependi e não tive como me desculpar e gostaria que as pessoas que eu amo não morressem.

quarta-feira, 16 de julho de 2008

Meme e selo.

Ahh... postando o Meme que eu ganhei da Camila (Lendo com Coca Cola)... Brigadaaa!!!

1- Escolher banda/artista:
Ivete Sangalo
2- Responder somente com os títulos das canções:

1- descreva-se: Assimétrica
2- o que as pessoas acham de você:Favo de mel.
3- descreva seu último relacionamento: Não vale mais chorar.
4- descreva a atual relação: Aqui vai rolar.
5- onde queria estar agora: Em mim, em você.
6- o que você pensa sobre o amor: Coisas maravilhosas.
7- como é sua vida: Tá tudo bem.
8- se tivesse direito a apenas um desejo: Sorte grande.
9- uma frase sábia: Devagar e sempre.
10- uma frase para os próximos...: Não precisa mudar.

(deu trabalho fazer heeein)

Repasso para: Sweet ( Myself) , Lehh' (Lehh') .


Aah.. ganhei mais um selinho! Da Talita (Menina do óculos rosa)

E repasso pra: Maria Fernanda que assina o P.S. e pra Sweet(não sei o nome dela) que assina o Myself.








Semana corrida... então nada muito inspirador hoje.
Beeeeeeeijo gente
e boa quinta feira!

**Ouvindo "Quase de manhã" do Scracho.

;**********

segunda-feira, 14 de julho de 2008

Patriotismo !?.

Três coisinhas antes de escrever pra valer:

*Só pra esclarecer, meu nome é Marcela, alguns me conhecem como Marcelinha, devido ao 1,54 m de altura, mas pode me chamar de Má ou Már.
*Não postei final de semana porque foi um tanto corrido pra mim.
*Queria agradecer as mais de 150 visitas desde que eu criei o blog, pode não parecer muito, mas eu fico bem feliz com isso, e aqueles que lêem, e comentam nos posts também... OBRIGADA de coração..!


Fiquei um tanto assustada esse final de semana, estava contando pra um amigo que eu tinha ido comer no Mc Donald's e que tinha tomado Coca-cola. Na hora, ele já começou a discutir comigo, tentando me convencer de que eu não deveria ter feito aquilo; quero citar dois dos vários argumentos que ele citou:
Primeiro - Por ser uma empresa norte-americana, o dinheiro gasto lá não traz benefícios para o Brasil, apenas enriquece ainda mais os EUA.
Segundo - Tanto o lanche quanto o refrigerante fazem mal a saúde. (?!)
Desde que nasci tomo coca-cola, não sou daquelas que bebe litros por dia, mas no almoço e na janta sempre tem Coca. E lanche no Mc... não é dos maiores, mas é um ótimo lugar pra sair, principalmente em cidades como a que eu moro, que não há muitas opções de divertimento.
Confesso que achei bem exagerado da parte dele fazer um escândalo por causa disso, e me soou um tanto forçado, mas ele é do tipo revolucionário, anti-americano e assim se justifica.
Mas me pergunto, se o primeiro argumento deveria mesmo ser levado em conta, não deixa de ser verdade, mas essa atitude tem a ver com falta de patriotismo (o que não acontece nos EUA) ou com falta de 'amor' pelo Brasil?
Grande parte dos produtos consumidos, alimentícios ou não, são importados, e isso se deve ao fato de que o Brasil não tem boas opções, ou às ótimas opções internacionais??
Até quando vamos sonhar primeiro em conhecer os EUA, Europa e etc, sem nem ao menos planejar viagens para o nosso Brasil, que é tão rico, tão belo e tão acolhedor?
Li (e não lembro onde =/) e concordo, que os brasileiros ao invés de 'reclamar' do governo, reclamam da nação; que o governo incompetente, os políticos corruptos, merecem sim pressão, reclamação e insatisfação pública é verdade, mas está na hora de valorizarmos mais a nação brasileira, esse país maravilhoso em que VIVEMOS.

Falando em patriotismo, exageros e política, tá ae uma história não muito conhecida, mas inaceitável :
Mumia Abu-Jamal (nome meio estranho, mas vale a pena dar uma lida)
Comunidade a favor dele

E queria agradecer ao selo... que eu ganhei da Mah (Nutella com morango).. e repasso para Talita (Menina do óculos rosa) , pra Má (Melão com passoca) e pra Kinha ( Um sonho secreto).!









Beeeijos geente
;**********

sexta-feira, 11 de julho de 2008

Amar ?!.

(é estranho... eu escrevo bem melhor de madrugada)

Sabe quando todo mundo em volta te pede pra não acreditar naquele garoto, não acreditar naquelas desculpas, não acreditar naquelas palavras, e a única coisa que você consegue fazer é acreditar. Porque mesmo que tudo aponte para mentiras, algo dentro de você grita: dê uma chance.
E então você se sente mal, se sente idiota em acreditar, e quando percebe já está toda armada, entrando numa relação "pronta pra matar".
Me senti assim essa semana. Sempre fui daquelas que duvida do amor de verdade (na juventude é claro), mas que acredita numa paixão arrebatadora; já sofri o suficiente pra entender que as vezes, por mais que a gente se importe, algumas pessoas não se importam. E sendo assim, o nosso esforço em conquistar é inútil.
Mesmo com essa teoria tão filosófica na mente, e mesmo com uma experiencia tão dolorosa (e bonita) ainda acho que só o fato de gostar, independente do outro, é o que nos faz viver .
Assistindo BBB7, no paredão Alemão e Siri (é foi o único BBB que eu assisti, e eu acreditei naquele amor, ainda não sei se foi apenas jogo de mídia ou se foi real, e pra falar a verdade, eu prefiro nem saber) o Bial disse uma coisa que eu não pretendo esquecer tão cedo:

"O amor é uma faca de dois gumes fatais
Quem não ama sofre
e quem ama sofre mais"

E nisso eu acredito, porque mesmo quando não estou apaixonada por algum garoto, eu necessito me envolver com alguma coisa, me apegar a algo ou alguém; é, Jesus tem meu coração, mas além disso é preciso "direcionar" todo o sentimento, para que ele não seja em vão, e se torne dor.
Acho que estou me reapaixonando, por alguém que eu redescobri, porque eu creio que as pessoas mudam, e fui surpreendida..!
Se eu vou sofrer ou não? Isso só o tempo vai dizer.
Mas a melhor coisa disso? É que acima de TUDO vale a pena arriscar, e sempre dá pra ser feliz mais uma vez..!


É, eu mudo de opinião quando acho que devo, vou correr esse risco, e não sei no que vai dar..!

terça-feira, 8 de julho de 2008

Um olhar.

Um olhar, faz toda a diferença.
Dia desse teve debate na escola, um 'julgamento' da Capitu, personagem de Machado de Assis, no livro Dom Casmurro. Quem não leu, eu indico. A sala dividida em três grupos, acusação, defesa e júri. Mas de tudo o que aconteceu, quero destacar apenas que a sentença estava praticamente acertada, e já era notável que o júri declararia Capitu inocente.
Então, como cartada final, a acusação lê um trecho, e é nesse ponto que eu quero chegar:

"A confusão era geral. No meio dela, Capitu olhou uns instantes para o cadáver tão fixa, apaixonadamente fixa, que não admira que lhe saltassem algumas lágrimas poucas e caladas."

E foi exatamente o trecho que mudou a sentença, quer dizer, nessa hora bateu o sinal e a professora declarou o julgamento empatado, acredito que isso foi bom pra todo mundo.
O que eu quero dizer é que, um olhar pode mudar tudo, fazer toda a diferença.
Aquele que nunca deitaram a cabeça no travesseiro e, ao fechar os olhos, puderam ver a imagem de um olhar, um olhar apaixonadamente inesquecível, que me desculpem mas o olhar é capaz de fazer a gente mudar de idéia. nos faz acreditar em alguém, nos faz sonhar com alguém.
Por que não são os olhos o espelho da alma?
Sendo assim, eles também são responsáveis em nos transmitir as mensagens desagradáveis, e a fazem com tal frieza que palavras se tornariam dispensáveis, mas nessas horas, é menos dolorido (aparentemente) acreditar que os olhos não são tão sinceros, , se enganar e crer que ainda há uma esperança.
Mesmo com esse lado cruel, os olhos são partes que eu valorizo muito em uma pessoa, porque a beleza que nele se encontra, essa capacidade de nos surpreender, de nos revelar, é incomparável! Não acredito, que nenhuma outra parte do corpo tenha esse poder.

É, eu já me apaixonei por uma piscadinha, já levei bronca da minha mãe através dum olhar e já desejei ser olhada.

sábado, 5 de julho de 2008

Esse negócio de sonhar, viajar e ficar imaginando coisas que nunca vão acontecer me pegou de jeito essa semana. Assisti One Tree Hill(como sempre) e acreditem ou não, fiquei horas pensando em como seria passar um dia inteiro com o Chad Michael Murray. É, não vai acontecer, mesmo porque ele mora longe, é mais velho e não adiantaria em nada. Mas não é bem das minhas viagens que eu resolvi falar hoje, e sim de quantas vezes a gente perde tempo, criando um modelo de cara perfeito, que sinceramente não sei se existe.
Muitas estão em busca daquele cara bonito e sarado, que saia desfilando pelo shopping, aquele popular, e que causaria aquela inveja; mas eu não sou assim, confesso que aqueles magros, inteligentes e não tão populares me agradam mais.
Parece óbvio, mas escolher os bonitos e sarados, só me dariam garotos bonitos e sarados, e o que eu busco na verdade é um garoto engraçado, bobo, que me faça feliz! Sim, aquele com um conteúdo maravilhoso, e quando eu encontrar um desses, não quero me preocupar se a embalagem é tão linda quanto as que aparecem na tv.
Também é inevitável pensar no que leva garotas aparentemente incríveis buscar garotos superficiais, e logo me vem a mente duas justificativas, ou elas são tão fúteis a ponto de só pensar no que os outros vão pensar, ou não tem conteúdo suficiente para agradar os que têm conteúdo.
Não tenho certeza se existe algum garoto bonito, sarado, simpático, inteligente e com todos aqueles adjetivos que nos fazemn delirar só de imaginar, mas SE existir, com certeza será um garoto exigente, e que não se contenta com garotas superficiais.
É por isso que eu me empenho, cada dia tentando me preocupar menos com corpo, roupas, nessa ditadura de moda e beleza. E eu não falo de deixar de ser vaidosa, mas ser mais natural, porque é preciso ser interessante, agradável, bem cuidada, espontânea, pra manter um relacionamento saudável, e quando me refiro a relacionamento, vai além de um romance, um amigo (tá ele é bem mais que um amigo) me disse uma vez "Sem amizade não há nada além de amizade."

Não, eu não tenho um namorado, não estou apaixonada e não acredito em contos de fada.

Novinho'

Só porque vi uma amiga escrevendo... e deu muita vontade... de prender no papel algumas das idéias que vagam na minha mente.
É incrível como pessoas podem nos irritar, simplesmente pelo fato de existirem. Queria entender o por que dessa minha rivalidade com garotas que ficam com meus ex, sei lá, eu simplesmente não gosto, tenho ciumes e vontade de bater com a cabeça delas na parede. Mas tudo bem, eu não vou fazer nada disso.
Talvez tenha a ver com o fato de estar tão insatisfeita com a realidade, pela minha busca incessante pela felicidade e pela perfeição. Utopia minha achar que sou perfeita, e utopia maior é achar que nele encontrarei a felicidade plena.
Sinto vontades que jamais se concretizarão, vontades incoerentes, vontade de sair gritando... de jogar TUDO pro alto, mas como um colega me disse uma vez... se eu jogar tudo pro alto, as coisas vão cair sobre mim, e se eu jogar com uma força do tamanho da minha raiva, vai doer demais, e só em mim.!
Não aguento mais ficar nesse mundo cheio de preconceito, pq até aqueles que lutam pela igualdade tem preconceito de alguma coisa. De música, de alguma tribo, de alguém!
Beeeijo
;*